quarta-feira, 1 de junho de 2016

Este comentário foi publicado pelo Diogo Mainardi no O Antagonista, reproduzindo o comentário da jornalista Eliane Cantanhêde do jornal O Estado de São Paulo.


É de uma clareza cristalina.  Impossível ser uma pessoa de bom senso e discordar de tal opinião ...


Pior sem ele


Ruim com ele, pior sem ele.
É a opinião sobre Michel Temer de Eliane Cantanhêde (com a qual eu, Diogo, concordo plenamente):
“Uma saída é dar uma trégua para Temer governar e a equipe de Henrique Meirelles tentar por a economia em ordem nesses dois anos e meio, para entregar para os eleitores em 2018 um país razoavelmente saneado. Temer não é perfeito e o PMDB tornou-se muito imperfeito, mas ele foi escolhido por Dilma e por Lula e eleito na chapa do mesmo PT que anima os queimadores de pneus, os invasores da Cultura, os que gritam ‘Fora Temer’ (…)
Além de habitar o Jaburu, Temer despacha agora no Planalto por força da Constituição, que assim determina: sai um(a) presidente, assume o vice. Não importa se é bonito, feio, gordo, magro, se é Itamar Franco ou se é Michel Temer. Ele está lá, e o Brasil, os brasileiros, a indústria, o comércio e os 11 milhões de desempregados precisam desesperadamente que comece a equilibrar as contas públicas e a fazer a economia andar.
A saída número 2 é a volta de Dilma. Sério mesmo, alguém deseja de fato a volta de Dilma, com sua incapacidade de presidir o País? (…)
Vale, sim, gritar contra muitas coisas, inclusive a nomeação de um ministro da Transparência indicado, ora, ora, pelo senador Renan Calheiros. Mas o esforço para derrubar Temer, neste momento, é trabalhar contra o Brasil”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário