sábado, 4 de janeiro de 2014

Será que chegaremos a tanto ?

Recentemente vi numa postagem via twitter e gostei: "eu sou calvo e sofri bulling. Quero uma bolsa ou algum privilégio. Sou uma vitima do dna humano".

A semente da discórdia está mais do que semeada em nosso país: ricos contra pobres, brancos contra não brancos, nordestinos contra sulistas, heterossexuais contra homossexuais, e por aí vai.

Todos que se entendem por minoria, querem um tratamento especial. Ora, basta fazer conta e somar para ver que uma sociedade é feita de uma soma de minorias. Com certeza, qualquer um de nós poderá escolher algum fator que nos inclui numa parcela minoritária da sociedade.

Então, logo teremos engalfinhados calvos contra cabeludos, barbudos versus barbas escanhoadas, magros contra gordos, aposentados contra trabalhadores da ativa, funcionários públicos contra empregados privados, empresários contra trabalhadores, estudantes de escolas públicas contra estudantes de escolas privadas, etc.

A semeadura da discórdia tem fins específicos. Quem é inteligente observa e conclui quais são estes fins.

Já li em algum lugar que o vocábulo Diabo vem do grego  Diabolos, que significa "divisão" ou "aquele que divide". Se é verdade não sei, mas que faz pensar, faz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário